O porto de Maputo (Moçambique) projecta movimentar este ano 14 milhões de toneladas, depois de em 2011 ter chegado aos 11,8 milhões.

Osório Lucas, o director executivo interino da Companhia de Desenvolvimento do Porto de Maputo (MPDC, na sigla em inglês), a entidade gestora daquela infra-estrutura, avançou a previsão e lembrou que nos últimos oito anos o porto da capital moçambicana triplicou a carga movimentada, tendo passado de quatro milhões de toneladas, em 2003, para 11,8 milhões de toneladas, no ano passado.

Citado pelo “Notícias”, de Maputo, aquele responsável adiantou que o plano de expansão aprovado prevê que o volume de carga processada no porto atinja 40 milhões de toneladas nos próximos cinco a seis anos.

Esta previsão encontra fundamento no projectado crescimento da carga a granel e geral, dos actuais dois milhões para oito milhões de toneladas/ano, e no aumento dos volumes exportados através do terminal de carvão, dos actuais seis milhões para 30 milhões de toneladas por ano, sendo 20 milhões de toneladas de carvão e 10 milhões de magnetite.

O porto de Maputo integra os terminais de Contentores, gerido pela DP World, de viaturas e carvão, geridos pela Grindrod, de açúcar, gerido pela Maputo Sugar Terminal (STAM), de Citrinos, operado pela FTP – Fresh Produce Terminals (Moçambique), e os terminais de cereais, alumínio e combustíveis, todos na Matola, geridos pela empresa pública Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique.

Comments are closed.