O Porto de Maputo está a negociar com o município da Matola terrenos para construir um parque de estacionamento para mil camiões a fim de reduzir o congestionamento nas estradas de acesso ao recinto portuário.

No decurso da cerimónia comemorativa do 110.º aniversário do porto e do 10.º aniversário da concessão, Osório Lucas, presidente da MPDC, precisou que o parque em causa não só oferecerá espaço para o estacionamento de camiões com carga destinada ao porto de Maputo, como também permitirá que pequenas e médias empresas possam nele implantar-se a fim de prestarem serviços variados de apoio aos camionistas.

O aumento das importações e exportações dos países vizinhos através do porto de Maputo tem resultado num crescimento significativo do tráfego, particularmente na Nacional 4, principal via de acesso rodoviário ao porto, adiantou aquele responsável, citado pelo “Notícias”, de Maputo.

Também o facto de o transporte ferroviário não conseguir dar resposta à procura existente, devido à insuficiência de meios circulantes, faz com que parte das cargas que deviam ser transportadas em comboios seja remetida para as estradas.

Presentemente, 41% da carga processada no porto de Maputo chega pela via rodoviária, sendo que um equilíbrio entre rodovia e ferrovia pressupõe grandes investimentos nas linhas de caminho-de-ferro, um exercício que já está a ser feito com envolvimento não só da MPDC como também das três companhias ferroviárias de Moçambique (CFM), da África do Sul (Transnet) e da Suazilândia (Swazi Rail).

Entre os grandes projectos em curso no porto, o presidente da empresa concessionária mencionou a conclusão, este ano, de uma das fases importantes da expansão do Terminal de Carvão da Matola, que passará dos actuais 6 milhões de toneladas para 7,2 milhões de toneladas de capacidade instalada, sendo objectivo atingir a prazo os 30 milhões de toneladas.

Comments are closed.