Dragagens iniciam-se no próximo ano para receber navios do tipo Panamax.

A Companhia de Desenvolvimento do Porto de Maputo (MPDC, na sigla inglesa), concessionária daquela infra-estrutura moçambicana, vai investir 800 milhões de dólares na sua modernização, nos próximos cinco anos.

A notícia é avançada pela imprensa local, que cita o presidente da sul-africana Grindrod Freight Services, parceira da DP World na gestão do porto da capital moçambicana.

Os planos mais imediatos contemplam a dragagem dos fundos do porto, dos actuais 9,4 metros para 11 metros, de modo a permitir a operação de navios do tipo Panamax, o que peermitirá aumentar a competitividade do porto moçambicano, quer nos granéis quer na carga contentorizada.

As dragagens iniciar-se-ão já em 2011, acrescentou o presidente da Grindrod, que financiará 40% dos investimentos previstos.

A concessão do porto de Maputo à MPDC, controla pela DP World, foi alargada, em Junho passado, até 2033, com uma opção por mais dez anos.

A Grindrod Freight Services, que detém 25% da MPDC, terá, por seu turno, garantido o alargamento da subconcessão do terminal de carvão até 2043, com a capacidade de movimentação do minério a crescer dos actuais seis milhões de toneladas para entre 16 e 25 milhões até 2013.

A Grindrod, a DP World e os Caminhos-de-Ferro de Moçambique irão desenvolver conjuntamente um depósito de contentores junto ao porto do Maputo, acrescentou ainda o mesmo responsável, sempre citado pela imprensa moçambicana. A primeira fase deverá estar concluída em meados de 2011.

Os comentários estão encerrados.