O Porto de Maputo prevê para o terceiro trimestre o arranque das dragagens de aprofundamento do canal de acesso, dos actuais -11 metros para -14 metros, anunciou a concessionária.

O concurso para a selecção da empresa que realizará os trabalhos já está a decorrer. Os novos fundos permitirão que o porto da capital moçambicana seja escalado por navios de até 80 mil toneladas, tornando-o um dos mais competitivos à escala regional e internacional.

“Dragar o canal de acesso ao porto é uma decisão estratégica que irá não só permitir atingir a meta estabelecida de processarmos 40 milhões de toneladas até 2020, mas que terá um efeito multiplicador sobre a economia moçambicana”, afirma, em comunicado, o director executivo da MPDC, Osório Lucas.

Esta será a segunda dragagem do canal de acesso ao porto moçambicano depois de, em 2010/2011, ter sido dragado de -9,4 metros para -11 metros, o que contribuiu para o aumento da carga processada, de 12 milhões de toneladas em 2011 para mais de 19 milhões em 2014.

A Sociedade de Desenvolvimento do Porto de Maputo (MPDC na sigla inglesa) detém a concessão do porto desde 2003 mas ganhou uma nova dinâmica desde que, em 2008, a sul-africana Grindrod e a DP World adquiriram a maioria do capital (51%) à Portus Indico. Participam também na sociedade a empresa pública Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique e a Mozambique Gestores.

Comments are closed.