As dragagens no estuário do Sado, no âmbito do projecto de melhoria das acessibilidades marítimas ao porto de Setúbal, começaram na ontem, quinta-feira, à noite, cerca das 21 horas.

“Foi ontem recebida a sentença do Tribunal Administrativo e Fiscal [TAF] de Almada que indeferiu o pedido de decretamento provisório das medidas cautelares requeridas e determina o levantamento da medida cautelar oficiosamente decretada.  Os trabalhos de dragagem iniciaram-se de seguida.”, anunciou, em comunicado, a Administração do Porto de Setúbal.

De acordo com o previsto, os primeiros sedimentos dragados serão depositados junto ao terminal ro-ro, nazona de ampliação do porto sadino.

Na terça-feira, o TAF de Almada mandou suspender provisoriamente o início das dragagens no estuário do Sado – que deveriam ter começado na quarta-feira -, na sequência de uma providência cautelar da associação SOS Sado. Ontem, o TAF indeferiu o decretamento provisório das medidas cautelares reclamadas pela associação.

O projecto de melhoria das acessibilidades marítimas ao porto de Setúbal prevê a retirada de cerca de 6,5 milhões de metros cúbicos de sedimentos do estuário do Sado, que deverão ser depositados em três locais distintos: uma parte junto ao terminal ro-ro, outra a sul da barra e uma terceira, a mais polémica, na zona da Restinga, que constitui uma das principais zonas de captura para uma comunidade de cerca de 300 pescadores.

O projecto da administração portuária de Setúbal tem sido muito contestado por algumas empresas do sector turístico e diversas associações cívicas e de defesa do ambiente.

No comunicado em que anunciou o arranque das dragagens, a APSS insiste em que “tem mantido um relacionamento estreito e cordial com as principais associações de pescadores de Setúbal, sendo que os locais de depósito dos dragados são, naturalmente, os constantes na Declaração de Impacte Ambiental”.

 

This article has 2 comments

  1. Começaram apesar do embargo dos comunistas e SEAL ?

  2. “CONTRA VENTOS E MARÉS” A DRAGAGEM AVANÇA, os ventos são falsos ambientalistas e marés os comunistas só mesmo ignorância não entende o que é óbvio para todos os agentes económicos, haja senso comum e bom senso !!