O porto do Lobito, Angola, deverá retomar em Março a expedição de minérios da República Democrática do Congo, mais de 30 anos após a interrupção da circulação ferroviária entre os dois países.

O primeiro comboio carregado com 50 contentores de manganês provenientes da RD Congo, deveria ter chegado esta segunda-feira ao porto do Lobito, mas foi adiado para Março.

O adiamento foi anunciado por uma fonte do Caminho-de-Ferro de Benguela (CFB), citada pela “Angop”.

A mesma fonte disse estar tudo a postos para receber o comboio de minério oriundo da região mineira de Kisenge, província de Katanga, tendo a CFB procedido em tempo ao envio de vagões com contentores para acondicionar e transportar o manganês até ao porto do Lobito, de onde será exportado por via marítima.

O envio de minério proveniente da República Democrática do Congo, algo que não acontecia há mais de 30 anos, tem lugar numa altura em que já está concretizada a conformação do ramal do CFB até a ponte ferroviária trans-fronteiriça sobre o rio Luau.

O município fronteiriço do Luau, província do Moxico, é a primeira estação do CFB no Leste de Angola, cujo destino final é o Lobito, província de Benguela, num percurso de 1 344 quilómetros de extensão, sendo possível chegar à cidade de Beira (Moçambique) e a Dar-es-Salam (Tanzânia) através das linhas de caminhos-de-ferro da Zâmbia.

Os comentários estão encerrados.