Os voos de longo curso da TAP no aeroporto do Porto poderão ter os dias contados. A ideia não agrada aos líderes nortenhos, mesmo se em causa estão apenas sete voos por semana. A decisão ainda não estará tomada mas, a avançar, a medida poderá ser compensada pelo reforço da ligações à capital.

Aeroporto do Porto

O alerta foi dado pelo presidente da Câmara do Porto, que referiu ter informações credíveis do interior da própria transportadora. Numa lógica de concentrar toda a actividade de longo curso no aeroporto de Lisboa, a TAP estará decidida a terminar com esses voos no “Francisco Sá Carneiro”.

Rui Moreira já avisou que se a TAP virar as costas à região a região poderá responder na mesma moeda e procurar outras companhias, ou outros hubs que não Lisboa (desde logo, Madrid, mas porque não Istambul?) para realizar as suas deslocações.

Nuno Botelh0, presidente da Associação Comercial do Porto, anunciou ir pedir esclarecimentos à administração da TAP. E Paulo Nunes de Almeida, presidente da Associação Empresarial de Portugal, sentenci0u que a TAP há muito abandonou o Norte do País.

Em risco estarão sete voos semanais para quatro destinos apenas: Nova Iorque, Rio de Janeiro, São Paulo e Caracas.

Do lado da TAP, fonte oficial garantiu que nenhuma decisão foi ainda tomada. Mas quando entraram na empresa e se reuniram com os trabalhadores, em plenários, os novos donos da companhia garantiram que as ligações no Porto seriam muito bem estudadas e que a frequência das ligações a Lisboa é para aumentar substancialmente.

Um tal reforço de oferta nos voos domésticos inscrever-se-á na opção assumida de concorrer com as low cost mas poderá servir também como compensação para o fim dos voos de longo curso directos à partida do Porto reduzindo os transtornos do transbordo na Portela.

Comments are closed.