A Câmara Municipal do Porto prevê investir 6,8 milhões de euros no interface de transportes multimodal de Campanhã, que deverá estar operacional em 2019.

Campanhã

O novo programa funcional do terminal, da autoria do ex-director do Gabinete de Projectos da Metr0 do Porto, aposta essencialmente na integração dos diferentes serviços/modos de transporte (serviços suburbanos, regionais e de longo curso da CP, Metro do Porto, STCP e operadores rodoviários privados) que confluem em Campanhã. Igualmente é dada relevância às acessibilidades pedonais e cicláveis.

A obra a edificar desenvolver-se-á em terrenos contíguos à estação ferroviária de Campanhã, o maior dos quais tem uma área de 15 mil metros quadrados. Mas também o layout do já construído deverá ser intervencionado para melhorar a sua funcionalidade.

O concurso para a elaboração do projecto avançará assim fique res0lvida a transmissão da titularidade dos terrenos abrangidos, da Infraestruturas de Portugal para a Câmara do Porto. Recorde-se que o interface de Campanhã esteve para ser desenvolvido em parceria pela autarquia e pela Refer.

O investimento previsto no interface – que incluirá a construção de um terminal rodoviário – é de 6,8 milhões de euros, dos quais 5,7 milhões poderão provir de fundos comunitários.

Se os prazos forem cumpridos, as obras demorarão 36 meses e a abertura acontecerá em 2019. A gestão do espaço será assegurada pela própria autarquia.

Ao mesmo tempo, a Câmara do Porto projecta um investimento de 4,7 milhões de euros na melhoria do interface do Hospital de São João, onde confluem as redes da STCP e da Metro do Porto, e por onde passam também operadores rodoviários privados.

Também ali, a ideia é integrar o projecto num plano mais vasto de melhoria das acessibilidades e da rede viária que, no caso, passa pela requalificação da denominada Estrada da Circunvalação, estrada nacional com características de via urbana, com um índice de sinistralidade dos mais elevados do País.

 

Tags:

Comments are closed.