O Porto de Ghent (Bélgica) e a Zeeland Seaports (Holanda, que supervisiona os portos de Terneuzen e Vlissingen) formalizaram a  fusão numa nova entidade designada de North Sea Port.

Porto de Ghent

O nome “internacional” tem na base os objectivos ambiciosos de crescimento da nova companhia portuária transfronteiriça, com um raio geográfico de acção de 60 quilómetros. “Até 2022, a North Sea Port pretende tornar-se uma marca líder entre os principais portos internacionais”, indica o comunicado de imprensa.

O objectivo da entidade é aumentar o Valor Acrescentado em 10%, assim como o tráfego marítimo para 70 milhões de toneladas (62 milhões no presente) e o tráfego fluvial para 60 milhões de toneladas (55 milhões actualmente). O objectivo passa também por aumentar a força de trabalho dos actuais 97 mil para 100 mil colaboradores.

No presente, a North Sea Ports reclama um lugar no top dez europeu em termos de cargas de transbordo e é o terceiro porto do Continente em Valor Acrescentado com um total de 13 mil milhões de euros.

A fusão foi acordada entre os oito accionistas das duas entidades: a cidade de Ghent, os municípios de Evergem e Zelzate e a província da Flandres Oriental, do lado belga, a província de Zeeland e os municípios de Borsele, Terneuzen e Fessingue, do lado holandês.

O acordo prevê a criação, no início de 2018, de uma holding, que controlará as duas subsidiárias Zeeland Seaports e Ghent Port Company.

 

Comments are closed.