Os CEO e directores de uma centena de portos do Reino Unido afirmam-se pouco preparados para o Brexit, num inquérito realizado pela Odgers Berndtson, consultora especializada na busca de executivos.

A análise revela que, a cerca de dez semanas para a aquela que é, ainda, a data oficial prevista para a saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit), os portos britânicos têm pouco ou nenhum planeamento realizado.

Questionados sobre o seu estado de prontidão, apenas 16% dos líderes das autoridades portuárias britânicas referiram já terem feito qualquer plano “significativo ou prático” para o Brexit. As restantes respostas dividiram-se, de forma igual, entre terem feito “apenas algum planeamento de alto nível” e “nenhum planeamento”.

“O sector portuário está interessado em aproveitar quaisquer oportunidades decorrentes do Brexit, mas esta é a primeira indicação real do que de facto está a acontecer fora de portos como Dover”, indica no relatório o chefe da Maritime & Shipping Practice da Odgers Berndtson, Paul Butterworth.

À espera do Governo

A Associação Britânica de Portos (BPA, em inglês) já reagiu às conclusões da consultora, tendo indicado que os portos e terminais do Reino Unido estão a estudar uma série de intervenções potenciais, ressalvando que a incerteza torna mais difícil para os portos tomarem decisões sobre investimentos.

A associação sectorial salienta ainda que, como muitos outros operadores na cadeia logística, os portos estão a aguardar detalhes do governo de Londres sobre como será o ambiente comercial final.

“Esta pesquisa sublinha a importância de garantir um acordo e negociar um futuro relacionamento que não coloque em vigor quaisquer novas barreiras ao livre fluxo de comércio”, refere o comunicado da BPA.

 

Comments are closed.