O coronavírus está a ter um forte impacto na actividade portuária na China, mas os volumes nos principais portos do país mantiveram-se em Janeiro. O pior será em Fevereiro…

As estatísticas finais ainda não são conhecidos, devido ao alargamento das férias do ano novo chinês, precisamente por causa do coronavírus, mas os dados revelados pelos maiores portos da China, com um misto de altos e baixos em termos comparativos, permitem concluir que, no global, os volumes de Janeiro se mantiveram em linha com o mês homólogo de 2019.

No Norte do país, o grupo Shandong registou uma movimentação de 121 milhões de toneladas de carga e 2,58 milhões de TEU no mês passado. Tratou-se de um aumento de 6,3% e 6,4%, respectivamente, face ao Janeiro anterior.

Em sentido contrário, o porto de Ningbo-Zhoushan prevê ter concluído o mês com 71,54 milhões de toneladas de mercadorias e 2,67 milhões de TEU, o que representará um decréscimo de, respectivamente, 2,9% e 3,3% em relação ao ano passado.

Também o porto de Guangzhou estima ter terminado o primeiro mês de 2020 com pior desempenho, com 38,748 milhões de toneladas de carga e 1,558 milhões de TEU. A concretizar-se será um declínio de 9,1% e 9,9% face ao Janeiro anterior.

Impacto agrava-se em Fevereiro

Devido à disseminação do vírus, portos e companhias de navegação chineses e internacionais ajustaram a oferta e o alinhamento de navios com origem, destino ou escala na China. Além disso, o período prolongado de férias do ano novo chinês para tentar conter a propagação do coronavírus fez as fábricas fecharem por duas semanas, com impacto nos volumes de exportações. Espera-se, por isso, um grande declínio nos números dos portos chineses no mês em curso

As principais linhas de transporte marítimo de contentores continuam a operar nos principais portos costeiros da China, mas os dez principais operadores do mundo cancelaram pelo menos duas dúzias de travessias para a China nas últimas semanas. As ligações ou escalas de navios nos principais portos chineses caíram 20% desde 20 de Janeiro, de acordo com a Alphaliner.

A consultora prevê, aliás, que no primeiro trimestre do ano os portos chineses percam cerca de seis milhões de TEU, o que, por si só, poderá reduzir em 0,7 pontos percentuais a estimativa do crescimento da movimentação de contentores a nível mundial para o ano em curso.

 

 

Comments are closed.