Os portos da América Latina necessitam de investimentos de 50 mil milhões de euros até 2040, segundo o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF).

As necessidades de investimento nos portos da América Latina apontadas pelo CAF estão concentradas, sobretudo, no México (24%), no Panamá (16%) e no Brasil (13%).

O relatório indica que os 50 mil milhões de euros de investimento, tanto público como privado, incluem projectos “para acrescentar capacidade portuária de contentores, melhorar a operação e a dragagem em acessos portuários no curto e no médio prazo, entre outros”.

A modernização permitirá superar a barreira dos 150 milhões de TEU de tráfego anual (triplo do actual), ter mais de 20 portos a movimentarem mais de dois milhões de TEU por ano (existem apenas seis no presente), receber navios de última geração em plena carga nos terminais principais, fazer parte das principais rotas marítimas mundiais com ligações directas a todos os mercados e desenvolver o tráfego de cabotagem e fluvial, entre outros.

De acordo com os dados fornecidos pelo CAF, a América Latina e o Caribe precisarão cobrir, até 2040, uma lacuna de 113 milhões TEU por ano entre a procura e a capacidade de movimentação de contentores oferecida pelos portos.

Essa diferença de longo prazo está concentrada principalmente nas sub-regiões marítimas do México (20%), do Pacífico Sul (26%) e da América Central e Caribe (35%). Essas três regiões foram, aliás, as primeiras a exceder o nível de saturação recomendado (superior a 80%) em 2017.

» Análise de investimentos portuários na América Latina e no Caribe no horizonte 2040

 

Comments are closed.