Os portos de Moçambique processaram no ano passado cerca de 46 milhões de toneladas, anunciou o presidente da Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique (CFM).

Na comparação com o registado em 2017, o resultado de 2018 representa um crescimento homólogo de 4,5% na actividade dos portos de Moçambique, ou cerca de dois milhões de toneladas.

A CFM registou em 2018 um resultado líquido de 2,5 mil milhões de meticais (cerca de 40 milhões de dólares), tendo a carga processada nos terminais ferroviários, de 7,5 milhões de toneladas, representado um
aumento de 19% comparativamente aos 6,3 milhões de toneladas contabilizados em 2017.

A companhia estatal vai, entretanto, investir 200 milhões de dólares na reconstrução da Linha de Machipanda, afectada pela tempestade tropical Idai.

A Linha de Machipanda, com uma extensão de 318 quilómetros, liga o porto moçambicano da Beira ao Zimbabué. É crucial para a economia daquele país e para a região Centro de Moçambique, tendo sofrido estragos com a passagem do Idai.

O anúncio do investimento na recuperação da linha foi feito pelo presidente da CFM, Miguel Matabel, na cerimónia de início da entrada ao serviço de cinco novas locomotivas e 300 vagões-plataforma, para transporte de contentores, ocorrida em Maputo, segundo a “AIM”.

 

 

Comments are closed.