Os portos de Moçambique manusearão este ano mais de 50 milhões de toneladas, superando a meta fixada, anunciou o ministro dos Transportes e Comunicações.

Carlos Mesquita disse, citado pela “AIM”, que a evolução da carga manuseada nos portos de Moçambique deve-se, entre outros aspectos, à aquisição de carruagens e locomotivas para o reforço da capacidade do transporte ferroviário de passageiros e carga; à conclusão da linha férrea Cuamba-Lichinga; do porto multiusos e da linha férrea de Nacala; à melhoria da capacidade da linha férrea de Ressano Garcia; à aquisição de meios de fiscalização marítima; e à reforma legal e operacional para a revitalização da cabotagem marítima.

Carlos Mesquita que falava na cidade da Beira, durante o encerramento do 37.º Conselho Coordenador do Ministério dos Transportes e Comunicações, reconheceu, no entanto, que o sector ferro-portuário de Moçambique necessita de
melhorar a sua eficiência e competitividade, apostando no aumento da capacidade portuária e no aumento de equipamento rolante, como locomotivas, vagões e carruagens.

“A reforma legal em curso deverá prosseguir, sendo urgente a aprovação da Lei Portuária, em elaboração. Na Marinha, a aposta deve ser na consolidação da cabotagem marítima, um modo de transporte estratégico para a circulação de mercadorias internas, dado o potencial da costa moçambicana”, disse o ministro.

 

Comments are closed.