Depois de terem afundado 25% em Maio, os portos espanhóis perderam 14% de cargas em Junho e terminaram o semestre com uma quebra de 11%.

No primeiro semestre do ano, os portos espanhóis movimentaram 248,2 milhões de toneladas, longe dos 277,9 milhões da primeira metade de 2019, de acordo com os dados da Puertos del Estado.

Os granéis sólidos foram o tipo de carga mais castigado, com uma redução homóloga de 18,8% até aos 36,9 milhões de toneladas. A carga geral fraccionada recuou 16,7% para 33,6 milhões e os granéis líquidos cederam 7,3% para 86,4 milhões.

A carga contentorizada, por seu turno, perdeu 7,9% e quedou-se nos 91,3 milhões de toneladas. Em TEU contaram-se 7,9 milhões, 10% menos do que no período homólogo de 2019. Valência ainda lidera, com 2,5 milhões de TEU processados (menos 9,1%), mas a sua liderança está segura por apenas 8 000 TEU, pois Algeciras apenas acumula uma perda de 1,5%. Barcelona fica-se pelos 1,4 milhões de TEU, 20,6% abaixo do realizado há um ano.

Em termos globais, Algeciras terminou o primeiro semestre mais líder do mercado, com 51,6 milhões de toneladas movimentadas (menos 3,4%). Isto porque Valência perdeu 7,9% das cargas, para 37,4 milhões de toneladas, e Barcelona 18,2% para 27,5 milhões.

Cádiz é o único porto do país vizinho a crescer no semestre, no país vizinho, e logo 16,6% até aos 2,1 milhões de toneladas.

Note-se que, em Junho, Algeciras e Valência já ficaram muito perto dos números do mesmo mês de há um ano.

 

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*