Os portos europeus exigem à Comissão Europeia que as ligações ferroviárias ao hinterland sejam uma prioridade, de acordo com um documento conjunto da ESPO e da EFIP.

A Organização Europeia de Portos Marítimos (ESPO) e a EFIP (Federação Europeia de Portos Interiores) salientam que os portos europeus são a base da multimodalidade, pelo que  as operações e ligações ferroviárias eficientes de e para essas instalações (ou mesmo dentro delas) são essenciais para impulsionar o transporte sustentável.

ESPO e EFIP defendem, por isso, que é importante apostar no investimento e desenvolvimento das ligações de última milha e conectar as redes ferroviárias nacionais através de portos com os terminais privados.

As duas entidades defendem que os fundos do Mecanismo Interligar a Europa (CEF, na sigla em inglês) devem dar prioridade a ligações aos portos e que os Estados-membros têm de eliminar os obstáculos legais ou governamentais que impedem o desenvolvimento dessas linhas.

Os portos europeus afirmam-se portas de entrada e saída da RTE-T (Rede Transeuropeia de Transportes), pelo que juntam diferentes cadeias de abastecimentos. Nesse sentido, a ferrovia pode, segundo ESPO e EFIP, promover ligações eficientes e sustentáveis, além de ser uma maneira eficaz de reduzir o congestionamento rodoviário.

 

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*