Leixões, Aveiro, Setúbal e Sines receberam nos últimos dias a visita de empresários e dirigentes do Irão, Brasil e Cabo Verde.

Seja por iniciativa própria, seja por vontade expressa dos visitantes, o facto é que os portos nacionais parecem estar a concitar cada vez mais o interesse de operadores e dirigentes de outras paragens.

Só nos últimos dias, foram quatro, em cinco, os principais portos nacionais a receber ilustres visitantes.

Começou em Leixões, com a visita de uma comitiva de empresários e dirigentes iranianos, entre os quais vários envolvidos no negócio marítimo-portuário, que aquele país pretende desenvolver. Em Leixões, tomaram contacto com a Janela Única Portuária, a Portaria Única e a operação dos diferentes terminais.

Aveiro recebeu o superintendente do porto de Itajai (Brasil), tendo sido assinado um acordo de geminação, que apontam para a cooperação em áreas como a formação de quadros ou a realização de estudos de mercado.

Já ontem, esteve em Setúbal o secretário de Estado da Indústria, Comércio e Mineração da Bahia (Brasil), liderando uma delegação de representantes da indústria e comércio, com o objectivo aumentar o conhecimento mútuo e despistar possíveis sinergias.

A Sines foi a ministra das Infraestruturas e Economia do Mar de Cabo Verde, interessada em conhecer o funcionamento do porto português de águas profundas (estando aquele PALOP empenhado em desenvolver um), com destaque para o terminal de contentores.

A Janela Única Portuária, que a Enapor adquiriu para instalar nos portos do arquipélago, foi outro ponto de interesse, assim como a evolução que em Sines se prepara, da JUP para a JUL (Janela Única Logística), a começar pela integração do modo ferroviário.

Em Sines esteve também, esta semana, o embaixador da Noruega em Portugal, acompanhado pelo primeiro secretário da embaixada em Lisboa. A visita incluiu, naturalmente, uma passagem pela IberCoal (empresa norueguesa instalada junto ao terminal multipurpose), que recentemente duplicou a sua capacidade.

Os comentários estão encerrados.