Os sete maiores portos do Continente movimentaram 37,8 milhões de toneladas nos primeiros sete meses do ano, 8,5% mais do que no período homólogo de 2009.

Em Julho foram movimentados 5,7 milhões de toneladas, mais 5,9% do que há um ano.

Desde o início do ano, Sines movimentou 14,7 milhões de toneladas (39% do total), seguindo-se-lhe Leixões, com 8,6 milhões (23%), Lisboa, com 6,8 milhões (18%), Setúbal, com 4,1 milhões (11%), Aveiro, com 2,3 milhões (6%). Figueira da Foz, com 918 mil toneladas (2%) e Viana do Castelo, com 319 mil toneladas (menos de 1%) fecham a contagem,

Os granéis líquidos (particularmente petróleo e seus derivados) representaram quase 45% das cargas movimentadas, ou 16,9 milhões de toneladas, tendo particular expressão nos portos de Sines e de Leixões.

A carga geral movimentou nos sete portos ascendeu a 11,7 milhões de toneladas (31% do total) e os granéis sólidos representaram 24%, com 9,1 milhões de toneladas.

O movimento de contentores somou 796 068 TEU. Lisboa manteve a liderança, com uma quota de mercado de 36,5%, enquanto Leixões vale 34,6% e Sines já representa 24,6%.

Em Julho o ritmo de crescimento, em termos homólogos, já foi mais baixo, também porque a comparação já é feita com um mês em que a crise era menos aguda. Sines e Aveiro, que nos meses anteriores apresentaram resultados muito fortes tiveram mesmo uma performance relativa negativa.

Os comentários estão encerrados.