O movimento de mercadorias nos portos nacionais (Continente, Açores e Madeira) cresceu 3,9%, em termos homólogos, no primeiro trimestre, tendo atingido os 21,3 milhões de toneladas, divulgou o INE.

Porto do Caniçal

O aumento foi determinado pela subida de 8,3% nas descargas, que totalizaram 12,9 milhões de toneladas e superaram a quebra de 2,3% nas descargas até aos 8,4 milhões de toneladas.

Entre Janeiro e Março, o tráfego nacional de mercadorias nos portos totalizou 3,2 milhões de toneladas (mais 17,4%), ao passo que o tráfego internacional chegou aos 18,1 milhões de toneladas (mais 1,8%).

Conhecidos que já eram os resultados dos principais portos do Continente (apurados e divulgados pela AMT), o relatório do INE permite ficar a saber como evoluiu a actividade nos portos das regiões autónomas.

Nos Açores, o porto de Ponta Delgada cresceu 17,2%, em termos homólogos, até às 346 mil toneladas, ao passo que o de Praia da Vitória avançou 19,8% e chegou às 126 mil toneladas. Em ambos os casos, e ao contrário do que se verifica no Continente, o tráfego nacional dominou, com 249 mil e 93 mil toneladas, respectivamente.

Na Madeira, no Caniçal foram movimentadas 222 mil toneladas (mais 2,7%), das quais 213 mil de tráfego nacional. Pelo Funchal, reservado quase exclusivamente aos passageiros, passaram apenas 12 mil toneladas (menos 53,1%) de cargas exclusivamente nacionais.

O conjunto dos “outros” portos (desde logo, os restantes portos dos Açores) movimentou, segundo o INE, 294 mil toneladas no primeiro trimestre, o que representou um aumento de 15,9% face aos primeiros três meses de 2015.

 

Comments are closed.