Os portos  nacionais movimentaram 29,8 milhões de toneladas até Abril. Menos 9,8% que no período homólogo de 2017. Mas reduziram as perdas acumuladas (-10,9%) no primeiro trimestre.

Sines, que liderou o crescimento no ano passado, é agora o que mais perde (18%, para 14,9 milhões de toneladas), e com isso arrasta o todo o nacional. Leixões e Aveiro destacam-se pela positiva, não só por serem os únicos a crescer (0,8%, para 6,2 milhões de toneladas, e 8,7%, para 1,8 milhões, respectivamente) mas também por atingirem os melhores resultados de sempre.

Todos os demais portos terminaram o quadrimestre no vermelho: Lisboa recuou 1,2% (3,9 milhões de toneladas), Setúbal 2,8% (2,2 milhões), Figueira da Foz 1,5% (658 mil), Viana do Castelo 4,6%(137 mil), Faro 17,5% (35 mil).

A “culpa” é dos contentores

Na análise dos números por si divulgados, a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) chama a atenção para o facto de a comparação homóloga ser enviesada pelo crescimento excepcional verificado na movimentação de contentores, em Sines, no primeiro quadrimestre de 2017.

A AMT sublinha mesmo que o período de Janeiro a Abril do ano passado foi “o mais elevado de sempre observado nos períodos de quatro meses consecutivos flutuantes”.

Em termos nacionais, a carga contentorizada recuou 15% no primeiro quadrimestre, para 10,8 milhões de toneladas, sendo que em Sines (por onde passa mais de metade da tonelagem) caiu 22,2%, com os movimentos de transhipment a afundarem 26,3% em número de TEU.

A castigar os números nacionais (e de Sines) esteve também o recuo de 25,2% na movimentação de carvão (1,6 milhões de toneladas) ainda a quebra de 6,5% nos granéis líquidos (10,6 milhões de toneladas).

A carga geral ficou nos 12,9 milhões de toneladas (menos 14,1%), destacando-se o salto de 24,3 da carga ro-ro (521 mil toneladas). Os granéis sólidos somaram 6,3 milhões de toneladas (menos 5,5%).

Só Setúbal ganha em TEU

Medido em TEU, o movimento de contentores nos primeiros quatro meses do ano caiu 14,2% para 926 386 TEU.

Sines perdeu 21,6% para 516 950 TEU, Leixões recuou 2,5% para 201 878 e Lisboa 2,3% para 151 718 TEU.

Setúbal foi a excepção à regra, com um ganho de 0,7% e um total de 49 488 TEU. A Figueira da Foz contou 6 281 TEU (menos 27,3%).

Abril melhor que Março

Em Abril, os portos nacionais processaram 7,9 milhões de toneladas. Menos 6,8% que no mês homólogo de 2017. Mas melhor 8,8% que o feito em Março.

Destacou-se Leixões, com um crescimento homólogo de 15,2% (1,8 milhões de toneladas). E Aveiro, a crescer 4% para 445 mil toneladas.

Sines recuou 16,8%, Setúbal 5,8%, Lisboa 2,2%, Viana do Castelo 1,9% e Figueira da Foz 0,5%.

» Governo antecipa recorde nos portos nacionais

 

 

This article has 1 comment

  1. Peço À TN para não voltar a escrever que Sines é 1 porto algarvio confundindo-o com Faro, é alentejano !