As empresas de construção e obras públicas dominam a missão empresarial que António Mendonça leva amanhã a Moçambique.

Uma vez mais, a representação dos transportes é feita quase exclusivamente por entidades públicas, a avaliar pela composição conhecida da comitiva. A excepção é a Takargo Rail, que estará presente através do administrador Pires da Fonseca, que de resto tem passado muito tempo naquele país africano

Ainda no sector ferroviário, a EMEF é a outra presença garantida, através do administrador José Pontes Correia. A empresa do grupo CP continua apostada em exportar vagões para Moçambique, tentando capitalizar as necessidades de material circulante existentes no país.

Do sector marítimo-portuário integram a comitiva do MOPTC o presidente do IPTM, João Carvalho, e o presidente da APDL, João Pedro Matos Fernandes. Antes intervirão num evento sobre o sector, no Instituto Superior de Transportes e Comunicações. João Carvalho fará uma apresentação sobre o tema da cabotagem, e Matos Fernandes apresentará a Janela Única Portuária.

O programa da missão, que se prolongará até à próxima terça-feira, prevê ainda a assinatura de um protocolo de cooperação no sector ferroviário e encontros de António Mendonça com o homólogo moçambicano, com o presidente dos Caminhos de Ferro de Moçambique e com o director geral do porto de Maputo.

Comments are closed.