O governo português pretende candidatar ao CEF, no próximo ano, investimentos  na melhoria das acessibilidades ferroviárias a alguns dos principais portos nacionais.

Porto de Leixões

O orçamento do CEF está praticamente esgotado, havendo disponíveis apenas mil milhões de euros (de um total inicial de mais de 24 mil milhões de euros). Desse montante, 750 milhões de euros destinar-se-ão a reforçar a multimodalidade dos sistemas de transportes europeus, anunciou ontem, em Tallin, perante os ministros dos Transportes da UE, a comissária europeia Violeta Bulc.

Para o ministro das Infraestruturas, Pedro Marques, poderá ser esta “uma oportunidade muito interessante para fazer alguns fechos de rede”, nomeadamente melhorando as acessibilidades ferroviárias portos de Vniana do Castelo, Leixões e Setúbal, disse, citado pelo “Público”.

“Vamos esgotar todas as possibilidades de financiamento”, subuilinhou o ministro.

Os investimentos em causa são de pequena monta, mas  o facclto é que as verbas disponíveis serão também escassas para as candidaturas para as candidaturas que se adivinham, e Portugal terá de ir “a jogo” em disputa com todos os demais estados-membros, esgotadas que estão as verbas exclusivas para os países do Fundo de Coesão.

No caso de Viana do Castelo estará em causa a ligação do porto comercial à Linha do Minho (em fase de modernização), em Leixões tratar-se-á, no essencial, de melhorar a denominada Linha de Leixões (incluindo aí o terminal de mercadorias da plataforma logística e a inserção das linhas nos terminais portuários), e em Setúbal o projecto é melhorar as acessibilidades aos terminais portuários.

 

Tags:

This article has 1 comment

  1. Este ministro dos transportes e das obras ainda é pior que a sua colega ministra do mar … vai fazer as suas candidaturas depois de se saber que os fundos já estão esgotados se isto não é incompetência não sei não !?