A venda de camiões na União Europeia recuou 8,1% em 2014. Em Portugal cresceu 30,7%. Melhor só a Croácia.

Foi um final de ano para esquecer, no que toca à matrícula de pesados de mercadorias na UE-27 (os dados de Malta não estão disponíveis, refere a ACEA). Em termos homólogos, o recuo foi de 49%, de 43 408 para 22 128 unidades.

E com isso, as perdas acumuladas atingiram, a 31 de Dezembro, os 8,1%, com 280 391 matrículas vs. 305 301.

Portugal recuou menos que a média em Dezembro: 21,3%, de 507 para 407 unidades, e assim fechou o ano em alta de 30,7% com 3 126 registos (2 392 em 2013). Melhor só a Croácia conseguiu: o mercado local cresceu 50,8% até aos 962 camiões.

Entre os principais mercados europeus, a Espanha foi o que se portou melhor, com um crescimento acumulado de 23,2% (em Dezembro ainda cresceu 8,4%) e 16 214 matrículas. A Alemanha, o maior de todos os mercados, cedeu 0,9% para os 85 971 veículos (mas em Dezembro afundou 40,6%…). A França (38 784 vendas) recuou 13,7% (32,5% em Dezembro). E o Reino Unido (38 240) caiu 27,8% depois de se afundar 76,4% no último mês.

No “grupo” de Espanha, em dimensão de mercado, a Polónia cedeu 10,2% (até aos 17 711), Itália terá ficado (os dados são estimados) sobre a linha de água (12 665), e a Holanda recuou 23,3% (10 366).

Tags:

Comments are closed.