Portugal poderá ter um papel a desempenhar enquanto parceiro atlântico das duas iniciativas da Rota da Seda, que prevêem grandes investimentos em infra-estruturas, afirmou em Lisboa o embaixador da China em Portugal.

Porto de Sines

A China apresentou recentemente à comunidade internacional a iniciativa “A Faixa Económica da Rota da Seda e a Rota da Seda Marítima do século XXI”, que têm como objectivo intensificar a cooperação entre a Ásia e Europa na área de construção de infra-estruturas, transportes, investimento, comércio e cultura.

O embaixador Huang Songfu, que usava da palavra na sessão de abertura da Conferência Lisboa 2015 Portugal/China, disse acreditar que “Portugal poderá tornar-se no centro da Rota Marítima do Atlântico”, desempenhando um papel “imprescindível na realização de Uma Faixa e Uma Rota.”

Assim, o embaixador convidou Portugal a “aproveitar esta oportunidade e a explorar em conjunto com a China a possibilidade de cooperação”, elevando desta forma a parceria estratégica global e a cooperação sino-portuguesa para “um novo patamar”, de acordo com o jornal bilingue Diário de Todos.

O embaixador qualificou como mais um marco no aprofundamento da parceria estratégica global de cooperação entre Portugal e a China esta conferência, que decorreu no Salão Nobre da Câmara Municipal de Lisboa.

A próxima conferência Portugal/China, organizada pelo Instituto Confúcio da Universidade de Lisboa, decorrerá em 2016, em Pequim, nas instalações do Instituto de Economia e Políticas Mundiais da Academia Chinesa de Ciências Sociais.

Comments are closed.