É a melhor classificação de sempre. Depois de, há dois anos, ter caído dez posições, Portugal sobe 13 e ocupa o 23.º lugar no Índice de Performance Logística do Banco Mundial de 2018.

Entre 160 países, Portugal obtém uma pontuação global de 3,64 pontos. Longe dos 4,2o pontos da Alemanha, que repete a liderança das duas edições anteriores do Índice de Performance Logística.

Nos seis itens de avaliação que compõem o Índice, Portugal obtém a sua melhor classificação (sexto entre os 160, com 3,83 pontos) no “International Shipments” (que mede a facilidade em contratar transportes internacionais a preços competitivos).

Nos restantes itens, Portugal obtém 3,17 pontos nas “Alfândegas” (eficiência das Alfândegas e demais serviços de controlo fronteiriço), 3,25 pontos nas “Infra-estruturas” (qualidade das infra-estruturas de transportes e relacionadas com o comércio), 3,71 pontos nas “Competências Logísticas” (competência e qualidade dos serviços logísticos), 3,72 pontos no “Track & Tracing” (capacidade de seguir os envios) e 4,13 pontos na “Pontualidade” (chegada ao destino/entrega das mercadorias no tempo previsto).

Alemanha mantém liderança

Pela terceira edição consecutiva, a Alemanha lidera o Índice de Performance Logística do Banco Mundial, com um score global de 4,20 pontos.

Nos lugares imediatos surgem a Suécia (foi terceira em 2016) e a Bélgica (6.ª há dois anos).

Seguem-se a Áutria (sobe três posições), o Japão (sobe sete lugares), a Holanda (cai dois), Singapura (recua dois), a Dinamarca (avança nove postos), o Reino Unido (cede uma posição) e a Finlândia (avança cinco).

Na comparação com 2016, saem do Top 10 o Luxemburgo (foi 2.º e agora é 24.º), Hong Kong (baixou de 9.º para 12.º) e os EUA (passa de 10.º para 14.º).

Espanha, aqui ao lado, consegue o 17.º lugar global, a sua melhor classificação de sempre.

Nos últimos lugares do ranking estão o Afeganistão, Angola, Burundi, Nigéria, Serra Leoa, Eritreia, Líbia, Haiti…

Sem surpresas, mas nunca é de mais sublinhá-lo, e o Banco Mundial fá-lo, os resultados dos países mais ricos no  Índice de Performance Logística do Banco Mundial, com um score global de 4,20 pontos. são, em média, 48% superiores aos dos países de mais baixos rendimentos.

> LER MAIS

Os comentários estão encerrados.