A Portway confirmou o despedimento colectivo de 257 trabalhadores, na sequência do fim da prestação de serviços de handling à Ryanair em Faro, Lisboa e Porto. O número de despedimentos poderá baixar se aumentarem os contratos a tempo parcial.

Portway

 

Em conferência de imprensa, o presidente da Portway, Jorge Ponce de Leão, disse que será dada aos trabalhadores a possibilidade de continuarem a trabalhar na empresa mas em regime de tempo parcial e que foi ainda firmado um acordo com a Ryanair para que esses funcionários tenham prioridade na admissão na companhia irlandesa.

Segundo o responsável, com o fim da prestação de serviços de assistência aos voos da Ryanair, que representava cerca de 30% da actividade da operadora detida pela ANA – Aeroportos de Portugal, foi estimada a necessidade de suprimir 210 horários de trabalho a tempo inteiro, o que na prática corresponde a 257 trabalhadores, uma vez que há muitos funcionários com contratos a tempo parcial.

Ponce de Leão afirmou que, caso alguns dos trabalhadores alvo do despedimento colectivo aceitem ficar na Portway com contratos parciais, o número de postos de trabalho suprimidos será menor. De momento, a empresa estima que dos 257 trabalhadores que irão receber a carta de despedimento 94 aceitem ficar a tempo parcial, o que poderá reduzir os despedimentos a 163.

Os trabalhadores abrangidos por este processo serão aqueles com maior remuneração e há mais tempo na empresa, com o presidente da Portway a justificar a opção por deste modo conseguir assegurar a sustentabilidade da empresa, quer financeira, quer em número de funcionários.

“Não podíamos pôr em risco a sustentabilidade de uma empresa com mais de dois mil trabalhadores e o processo foi desenhado por forma a – num processo que era inevitável – reduzir o número de pessoas afectadas e garantir um rendimento disponível mais ou menos semelhante”, afirmou.

Segundo a Portway, no aeroporto de Faro estão em causa 26 trabalhadores a tempo inteiro e 28 a tempo parcial (40 postos de trabalho), em Lisboa 61 a tempo inteiro e 20 parcial (71 postos de trabalho) e no Porto 76 a tempo inteiro e 46 trabalhadores a tempo parcial (99 postos de trabalho parcial).

A Portway deixará de prestar serviços à Ryanair no final de Março em Faro, em Junho no Porto e em Outubro em Lisboa.

Os comentários estão encerrados.