Quatro anos volvidos, a Portway regressou aos lucros. O resultado líquido de dois milhões de euros compara com as perdas de 324 mil euros de 2009 e multiplica várias vezes o ganho de 255 mil euros apurado em 2006.

Em 2010, a operadora de handling realizou um volume de negócios de 50,98 milhões de euros, 14% acima do conseguido no exercício anterior, apurou o TRANSPORTES & NEGÓCIOS. O EBITDA avançou 79%, de 2,2 milhões para 3,9 milhões de euros.

Comparativamente com 2009, no ano passado a Portway assistiu mais 15% de voos (40 867), mais 18% de passageiros (cerca de dez milhões) e mais 21% de carga (67 282 toneladas).

No final do ano a empresa empregava 1 154 trabalhadores a tempo inteiro, mais cerca de uma centena que em 2009. O custo de pessoal por trabalhador efectivo manteve-se inalterado, ao passo que o proveito por trabalhador de handling cresceu 11%.

Entretanto, o lugar deixado vago na administração da empresa por José Manuel dos Santos será ocupado por Alexandre Kuhl de Oliveira, ex-administrador da NAV, soube o TRANSPORTES & NEGÓCIOS. No imediato, será a outra administradora executiva, Joana Freitas, nomeada em 2010, quem assumirá as principais pastas que eram da responsabilidade do CEO. Na presidência da Portway, com um cargo não executivo, mantém-se Carlos Madeira.

Tal como o TRANSPORTES & NEGÓCIOS noticiou, José Manuel Santos regressou à ANA para assumir a responsabilidade do desenvolvimento do negócio da carga.

Comments are closed.