Durou um ano a experiência da The Containership Company (TCC), a primeira companhia “low cost” de transporte marítimo de contentores.

A companhia começou a operar em Abril do ano passado, com um serviço directo entre o porto de Taicang, na R.P. China, e Los Angeles (EUA). Seguiu-se uma segunda ligação, a partir de Ningbo, e uma terceira ainda, com saídas de Qingdao.

No primeiro semestre, a TCC acumulou um prejuízo de três milhões de dólares, para um volume de negócios de 21,2 milhões de dólares.

O projecto inicial – reafirmado ainda em Setembro do ano passado – previa o lançamento de serviços directos entre a Ásia e o Norte da Europa.

A verdade é que os volumes carregados não atingiram os níveis previstos, com os responsáveis da companhia a acusarem os carregadores de incumprimento dos contratos firmados para 2010/2011.

Como se isso não bastasse, os fretes praticados no trans-Pacífico atingiram na semana passada o nível mais baixo do último ano, retirando à TCC a vantagem competitiva de ser uma “low cost”.

A partir daqui a TCC propõe-se manter-se como “ship carterer manager”, explorando o navio de 2 500 TEU que possui e as cinco unidades de 3 000 TEU que tem contratadas “a preços significativamente mais baratos que o nível actual do mercado”. A TCC pode prolongar esses contratos até 2013 ou mesmo adquirir três dos navios.

Comments are closed.