A primeira fase do projecto de construção da base logística de Pemba, na província de Cabo Delgado, cujas obras estão orçadas em 150 milhões de dólares, já dispõe de financiamento.

Esta primeira fase compreende a construção da base logística e das instalações para a produção e montagem de equipamento submarino usado na indústria petrolífera, estando em curso o estudo de impacto ambiental, depois de concluídos os estudos de batimetria e de topografia.

André da Silva, director executivo da Sociedade Portos de Cabo Delgado (PCD), empresa que tem as concessões dos Terminais Portuários e Logísticos de Pemba e de Palma, disse ao “Notícias” de Maputo que os trabalhos em curso têm estado a cargo da empresa moçambicana ENH Logistics, subsidiária da estatal Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH), que poderá envolver-se igualmente na construção e gestão do empreendimento.

Inicialmente, estava previsto o lançamento de um concurso público internacional para a adjudicação do projecto, mas isso poderá não acontecer para salvaguardar o cumprimento dos prazos e assegurar a utilização das infra-estruturas antes de 2018, para quando está previsto para o início da produção do gás natural descoberto na bacia do Rovuma, no Norte de Moçambique.

A PCD é uma sociedade constituída pela ENH e pela Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique, com 50% cada, que ficou com a concessão dos dois terminais portuários por um período de 30 anos, a fim de garantir o desenvolvimento de infra-estruturas de apoio à indústria de petróleo e gás na província de Cabo Delgado.

Comments are closed.