O concurso público do estudo prévio e do Estudo de Impacte Ambiental do novo terminal de contentores de Lisboa, no Barreiro, será lançado nos próximos dias, afirmou a presidente da Administração do Porto de Lisboa (APL).

Contentores

“Está tudo pronto para lançar o concurso público para o estudo prévio e para o Estudo de Impacte Ambiental nos próximos dias. Apenas falta resolver uma pequena situação burocrática”, disse Marina Ferreira, no debate sobre a “Plataforma Multimodal do Barreiro/Terminal de Contentores – Visão e Futuro”, realizado no Barreiro.

“Este é um projecto que só avança se houver interesse de privados, porque não vai haver dinheiros públicos, e existem interessados. Muito se fala das dragagens que são necessárias no rio Tejo, mas se elas custassem os 45 milhões de euros que se fala, de certeza que não havia interessados”, insistiu a presidente do Porto de Lisboa.

Manuel Salgado, vereador da Câmara de Lisboa, outra presença no debate, referiu que o Barreiro é uma boa solução para receber o novo terminal, mas que devem ser efectuados todos os estudos necessários.

“O Barreiro tem acessibilidades, tradição industrial e reservas de espaço, mas também tem pontos fracos como os problemas com o calado dos barcos. Apoiamos o terminal aqui, mas com estudos de viabilidade aprofundados”, disse.

O vereador de Lisboa, que anunciou estar a ser preparada uma candidatura da paisagem do Tejo a património da Humanidade, sublinhou que é preciso pensar bem nas soluções. “Um terminal de cruzeiros na Baixa é uma mais-valia, mas um terminal de contentores é um prejuízo, por isso tudo tem que ser bem pensado”.

Carlos Humberto, presidente da Câmara do Barreiro, defendeu que o terminal deve ser mais do que um simples terminal, referindo que é importante que seja “uma plataforma logística, portuária e tecnológica”.

Comments are closed.