Um consórcio formado pela North Western Railway e a Grindrod Limited propõe-seinvestir mil milhões de dólares na construção de uma via férrea entre a Zâmbia, Angola e a República Democrática do Congo.

A nova linha férrea, com uma extensão de 580 quilómetros, deverá começar a ser construída ainda este ano. Os primeiros comboios carregados de concentrado de cobre poderão circular dentro de 18 meses.

Numa primeira fase far-se-á a ligação das minas de Kansanshi, Lumwana e Kalumbila à cidade de Chingola, junto a fronteira da Zâmbia com Angola. Depois será a vez do troço de ligação à linha dos Caminhos de Ferro de Benguela, que permitirá o acesso directo ao porto do Lobito, para escoamento do minério e abastecimento de combustíveis, entre outras cargas.

A primeira fase tem um custo estimado em 290 milhões de dólares. A segunda custará 500 milhões. Falando recentemente na conferência internacional iPAD DRC Mining & Infrastructure Indaba, o director-geral da North Western Railways, Emoch Kavindele, citado pelo “Southern Times”, sustentou que os fundos necessários para a construção já foram garantidos.

 

Comments are closed.