O Estado francês deverá acelerar as privatizações este ano para financiar despesa pública e o Grupo ADP (Aéroports de Paris) será uma das escolhas, adianta hoje o “Financial Times”.

Paris detém 50,6% do capital da gestora aeroportuária, que foi parcialmente privatizada em 2005 e que hoje apresenta uma capitalização bolsista de 15,6 mil milhões de euros. Os principais accionistas privados são o Grupo Schiphol (resultado de uma parceria estratégica acordada entre a França e a Holanda) e a Vinci, ambos com 8% do capital.

Segundo o “FT”, o Bank of America e o Merril Lynch já terão sido contratados para estudar as opções de venda.

O dossier é politicamente delicado, não só pela importância estratégica da gestora aeroportuária, mas também porque o grupo detém uma extensa – e valiosíssima – bolsa de terrenos. Daí que uma das hipóteses sobre a mesa, avança a imprensa gaulesa, seja a transferência dos bens fundiários para outra empresa onde o Estado manteria o controlo.

A Vinci, que detém a ANA, é apontada como a natural candidata à compra da ADP. Até porque, ainda que a decisão de colocar à venda ainda não tenha sido tomada, é ponto assente que os compradores terão de ser europeus e de preferência franceses.

O Grupo ADP gere 26 aeroportos em todo o mundo e está presente, directa e indirectamente, em mais de 30 países.

 

Comments are closed.