Agosto foi mesmo mês de férias para os construtores automóveis instalados em Portugal. A produção de veículos comerciais retraiu-se 40% para as 702 unidades.

A produção de comerciais ligeiros, que domina no sector nacional, foi também a que mais cedeu: 46% para os 542 veículos. Nos pesados, produziram-se 160 camiões (os autocarros continuam a zeros), menos 4% que há um ano.

O grupo PSA Peugeot-Citroën, que domina a produção de comerciais ligeiros em Portugal, foi também o principal responsável pela baixa registada em Agosto. Construíram-se menos 60% de Peugeot (191 apenas) e menos 59% de Citroën (172). A Mitsubishi também produziu menos 54%, ficando-se pelos 38 veículos.

Ao invés, a Toyota, que em Agosto do ano passado não produziu qualquer comercial ligeiro, construiu agora 93. E a Isuzu quadruplicou a produção para as 48 unidaes.

Nos comerciais pesados, a Mitsubishi ficou-se em Agosto pelas 55 unidades (menos 56%), ao passo que a Toyota chegou às dez (contra zero há um ano) e a Isuzu às 95 (mais 126%).

No balanço dos oito primeiros meses do ano, a produção nacional de veículos comerciais eleva-se a 30 981 unidades (mais 28% que há um ano), sendo 28 151 ligeiros (mais 14%) e 2 830 pesados (mais 3%).

Nos ligeiros, a Citroën lidera com 14 634 veículos produzidos (mais 26%), seguida da Peugeot, com 10 388 (mais 9%). A Mitsubishi conta 1 756 (menos 1%), a Toyota 1 121 (menos 20%) e a Isuzu 252 (menos 25%).

Nos pesados, a Mitsubishi domina com 2 209 veículos (mais 13%), com grande vantagem sobre a Isuzu, com 521 (nos 27%) e sobre a Toyota, com 100 (menos 29%).

Comments are closed.