O motor da construção de veículos comerciais em Portugal, a PSA Mangualde, gripou no primeiro trimestre. Os crescimentos da Mitusbishi e da Toyota Caetano apenas atenuaram as perdas do sector.

PSA Mangualde

Entre Janeiro e Março, construíram-se em Portugal 10 725 veículos comerciais, menos 15,3% que no período homólogo de 2014. A produção de comerciais ligeiros, de longe a mais importante, recuou 18,4% para as 9 797 unidades, de pouco valendo o crescimento de 41% e os 928 pesados de mercadorias fabricados.

A Peugeot-Citroën, o principal construtor instalado em Portugal, ficou-se pelos 8 989 veículos produzidos (menos 21,6%). Já a Mitsubishi do Tramagal cresceu 46,6% até aos 1 388 veículos (500 ligeiros e 888 pesados). Da unidade de Ovar da Toyota Caetano saíram 308 ligeiros e 40 pesados, num total de 348 comerciais (mais 40,3%).

Curiosamente, apesar do aumento da produção, a Toyota Caetano não exportou qualquer comercial no primeiro trimestre. Na Mitsubishi, as exportações subiram 43,8% até aos 1257 veículos. E na PSA caíram 31,6% para os 5 486.

Em Março, a produção nacional de comerciais aumentou 6%, para um total de 3 978 veículos. Mas enquanto a Peugeot-Citroën construiu 3 669 (mais 2,2%) e a Mitsubishi 503 (mais 93,5%), a Toyota ficou a zeros, de acordo com os números da ACAP.

Comments are closed.