A produção nacional de veículos comerciais recuou 20,4% em Janeiro, penalizada pela quebra da PSA de Mangualde.

No primeiro mês de 2015, os construtores instalados em Portugal produziram 3 567 comerciais, dos quais 3 241 ligeiros (menos 23,1%) e 326 pesados (mais 23,5%).

A PSA de Mangualde, de longe o maior fabricante de veículos comerciais em Portugal, foi desta feita o “carrasco” das estatísticas, com uma quebra homóloga de 27,2% para 2 949 unidades (1 507 Citroën e 1 442 Peugeot).

Em sentido contrário, a Toyota Caetano destacou-se a crescer, com um ganho de 150,8% nos comerciais ligeiros (163 unidades) e de 300% nos pesados (16). A Mitsubishi do Tramagal também esteve em alta: 27,7% nos ligeiros (129 veículos) e 19,2% nos pesados (310 camiões).

Dos 3 241 comerciais ligeiros produzidos em Portugal em Janeiro 2 565 destinaram-se à exportação, o mesmo acontecendo com 286 dos 326 camiões.

O resultado global de Janeiro é o pior dos últimos cinco anos.

Os comentários estão encerrados.