A produção nacional de veículos comerciais cresceu 10,4% em Agosto e acumula um ganho homólogo de 11,1%. Ao arrepio da tendência de quebra que se agrava nos ligeiros de passageiros.

Em Agosto, Portugal produziu 775 comerciais. Destacaram-se os ligeiros, com um ganho homólogo de 40,8% para as 763 unidades. Ao invés, a produção de camiões quebrou 92,5% para apenas 12 viaturas.

Entre os construtores de ligeiros, apenas a PSA de Mangualde laborou, tendo mais do que duplicado a produção de Citroën (de 187 para 430 unidades) e aumentado em 89,2% o número de Peugeot (de 176 para 333).

Nos pesados, só a Isuzu esteve de serviço, e ainda assim com uma quebra de produção de 87,4%.

Nos primeiros oito meses do ano, a produção nacional de veículos comerciais elevou-se a 34 426 unidades, entre 31 208 ligeiros (mais 10,9%) e 3 218 pesados (mais 13,7%).

A PSA de Mangualde representa mais de 92% da produção de comerciais ligeiros, com 16 050 Citroën (mais 17,1%) e 12 737 Peugeot (mais 12,6%). A Mitsubishi fica-se pelos 1 208 (menos 31,2%), a Toyota pelas 991 (menos 11,6%) e a Isuzu pelas 222 (menos 11,9%).

Nos pesados é a Mitsubishi quem manda, com 2 227 unidades produzidas (mais 0,8%), mas a Isuzu cresce 84,5% para os 961 veículos. A Toyota quebra 70% e queda-se nos 30 camiões.

Comments are closed.