O Centro de Produção de Mangualde do Grupo PSA – Peugeot Citroën suprimiu hoje o terceiro turno de laboração, daí resultando a extinção de 280 postos de trabalho.

O ajustamento na produção foi anunciado no final de Maio. Quando foi relançado, em Abril do ano passado, o terceiro turno era para funcionar por um período de nove meses. Acabou por operar durante 16 meses.

A criação do terceiro turno em Mangualde resultou, lembra a empresa, do facto de a fábrica de Vigo do Grupo PSA registar naquela altura uma produção excepcional e temporária, inerente à fase de lançamento dos modelos Citroen C-Elysée e Peugeot 301. Por isso foi transferida para Mangualde a produção “de alguns volumes dos modelos Citroën Berlingo e Peugeot Partner”.

Segundo a PSA de Mangualde, “este factor extraordinário terminou e as fábricas voltam à sua produção nominal”, levando ao ajustamento da actividade produtiva com a supressão do terceiro turno. Serão reduzidos aproximadamente 280 postos de trabalho, passando a empresa a empregar cerca de 820 trabalhadores e a ter como referência uma produção de 192 veículos por dia.

O terceiro turno permitiu uma produção suplementar de cerca de 25 000 veículos, um acréscimo de exportações superior a 200 milhões de euros, mais quatro milhões de euros de salários e mais dois milhões de euros em impostos e contribuições sociais.

A PSA garante que os trabalhadores que agora deixam a empresa serão privilegiados em eventuais contratações futuras.

A PSA de Mangualde produz os veículos Citroën Berlingo e Peugeot. É a maior empresa da região e uma das maiores exportadoras de Portugal, tendo produzido, em 2013, 56 713 veículos.

Os comentários estão encerrados.