A PSA International registou no ano passado um aumento de 5,5% no movimento de contentores e de 3% no volume de negócios, mas os resultados líquidos caíram 7,5%.

MSC Zoe

A companhia movimentou 67,63 milhões de TEU no ano passado. Os terminais de Singapura registaram 30,59 milhões de TEU e os restantes, na Ásia, Europa e Américas, 37,04 milhões de TEU (+10,6%). Em Sines, recorde-se, o Terminal XXI cresceu no ano passado 13,6% e superou os 1,5 milhões de TEU.

As receitas cresceram menos que os movimentos, mas ainda assim subiram 3%, para 3,7 mil milhões de dólares de Singapura.

Já o lucro operacional caiu 5,4%, para 1,6 mil milhões de dólares de Singapura, o que é justificado parcialmente pela PSA International por depreciações mais elevadas. O lucro da companhia caiu 7,5% em 2016, para 1,17 mil milhões dólares de Singapura.

O presidente do grupo de Singapura, Fock Siew Wah, fez um balanço positivo de um ano que, recordou, foi marcado por tensões geopolíticas no Médio Oriente, pela votação do Reino Unido pelo Brexit e pela eleição de Donald Trump, o que pode aumentar o proteccionismo na economia mundial.

“Apesar desses desafios, a nossa equipa global da PSA conseguiu alcançar um conjunto de resultados meritórios. Gostaria de expressar a minha mais profunda gratidão à nossa gestão, sindicatos e funcionários pelo seu esforço dedicados e os sacrifícios que fizeram para oferecer os melhores resultados para os nossos clientes”, salientou Fock Siew Wah.

Em relação a 2017, o presidente da PSA International prevê um novo ano “com incertezas, mas também com oportunidades”.

 

Comments are closed.