Uma estrutura ágil e a proximidade aos clientes são o segredo para a afirmação da PSL Navegação no mercado, adianta ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS Francisco Leite.

Uma fugaz passagem pelo Top 100 da Alphaliner dos armadores mundiais de transporte de contentores chamou a atenção para a PSL Navegação, nascida faz este mês cinco anos.

Francisco Leite é o “homem forte” da companhia em Portugal. E, por isso, quando se tratou de saber mais da actividade da empresa, foi a ele que foram colocadas as questões. As respostas, essas, foram dadas “em conjunto” pela equipa, como fez questão de sublinhar.

T&N – Como foi o ano de 2018 vs. 2017 em termos de volumes movimentados?  

PSL – Em 2018 fizemos menos 6% à exportação que em 2017. Angola  baixou bastante as importações de Portugal pelas razoes que são conhecidas.

T&N – Como evoluiu a vossa oferta de capacidade? 

PSL –  A PSL neste momento opera com  dois navios de 1 800 TEU. Temos possibilidade de  rapidamente meter tonelagem adicional caso se justifique, mas não tem sido esse o caso.

T&N – Têm prevista alguma mudança na oferta de serviços para este ano?

PSL – Não temos nada planeado. O grande volume de carga portuguesa é para os PALOP, com incidência em Angola.

T&N – Como é que um pequeno operador consegue viver num mercado internacional fortemente concorrencial? Qual é o segredo?

PSL – Boa pergunta. Temos conseguido sobreviver com uma estrutura pequena em Portugal, mas  com um serviço ao cliente extremamente rápido e personalizado; e em Angola com uma estrutura mais forte e organizada, mas extremamente flexível e espalhada pelos cinco principais portos de Angola e São Tomé.

Em contrapartida as dificuldades são imensas, a começar pelo regime fiscal português – altamente prejudicial à competitividade marítima quando comparado com o resto dos países da Europa do Norte – e a acabar numa concorrência “global” que muitas vezes pratica “dumping”, e que se torna irresistível para carregadores que somente procuram “preço”…

T&N – Como têm evoluído os fretes? E como prevêem evoluam?

PSL – Os fretes não têm acompanhado o aumento de custos (combustíveis /rendas dos navios / estiva … ), pelo contrário têm baixado. Se a princípio isso podia ser encarado como resultado de uma optimização de custos e de economias de escala, neste momento já não é assim e os fretes estão a níveis historicamente baixos.

Os grandes armadores estão a reportar perdas operacionais mas parecem preferir cota de mercado e cash flow, em vez de  rentabilidade.

T&N – Como é que irão lidar com as novas regras da IMO sobre os limites de enxofre?

PSL – Estamos a seguir esse assunto, o nosso principal fornecedor de combustível já garantiu que tem  combustível que cumpre a legislação da IMO. O valor do BAF terá de ser ajustado ao preço do novo combustível.

T&N – Finalmente: operam também um serviço de cabotagem em Angola. Em que consiste essa oferta, e como tem evoluído?

PSL – O serviço de cabotagem é operado autonomamente pelo nosso agente em Angola [Naiber]. É um serviço local e do qual somos  um bom cliente.

PSL Navegação

A PSL Navegação nasceu a 1 de Janeiro de 2014 , “para aproveitar todo um conhecimento adquirido pela rede de agências NAIP em Portugal, NAIBER em Angola, NAI em São Tomé, NMA em Roterdão e NAIBRAS no Brasil”.

Actualmente, a companhia conta agentes nos portos de Lisboa e Leixões, Roterdão, Luanda, Lobito, Namibe, Cabinda e Soyo e São Tomé e Príncipe.

Este artigo tem2 comentários

  1. Meus Caros Amigos da Equipa PSL
    Muito BOM DIA !…
    Parabéns pelo trabalho desenvolvido nestes mares procelosos…
    São realmente uma boa solução para os Palop.
    São portugueses e todos devemos estar muito orgulhosos com a V/ resiliência, competência e rigor.
    Bem hajam. Vamos lá ganhar seguidores …
    Bom Ano e algum dinheiro para gastos 👏👏👏
    Abraços fraternos,
    Daniel e família Jomatir

  2. Garrido, Artur

    Prezados JLPenha, FLeite e Team PSL;
    É sempre com muito apreço que leio as notícias que falam da vossa Empresa. Na verdade, Vocês são um exemplo de grande capacidade e tenacidade professional, e bem merecem a estima dos vossos Clientes, e são bem merecedores de apreço do Mercado, que só beneficiará do vosso enorme conhecimento dos merrcados de São Tomé e Angola.
    Deixo aqui o meu Amistoso Abraço com Votos de MELHORES NEGÓCIAS EM 2019.
    BEM HAJAM,
    A G