Uma baixa de 14% no valor médio dos fretes, que o aumento dos volumes e a redução dos custos unitários não lograram compensar, originou a quebra dos lucros da Maersk Line no segundo trimestre.

Maersk Line

Entre Abril e Junho a companhia dinamarquesa lucrou 507 milhões de dólares, valor que compara com os 547 milhões de há um ano. O volume total de receitas caiu 9,2% em termos homólogos para 6,2 mil milhões de dólares.

A tarifa média caiu 14,1% para os 2 261 dólares/FEU. E anulou o aumento de 3,7% nos volumes transportados, para a casa dos 2,48 milhões de unidades.

Com a ajuda da redução de 40,1% na cotação do bunker (para os 335 dólares/tonelada) e a utilização de navios de maiores dimensões, os custos unitários de transporte baixaram 13,1% até aos 2 246 dólares.

No balanço do primeiro semestre, a Maersk Line soma lucros de 1 221 milhões de dólares (1 001 milhões há um ano) e receitas globais de 12,5 mil milhões de dólares (13,4 mil milhões).

Na apresentação dos resultados, a companhia reafirmou a intenção de crescer pelo menos em linha com o mercado para manter a sua posição de liderança. O crescimento da procura, esse foi revisto em baixa, de 3-5% para 2-4%.

Reiterado foi também o objectivo de superar este ano os 2,2 mil milhões de dólares de resultados líquidos alcançados em 2014. Já a meta de uma ROIC de 8,5% foi elevada para 8,5-12%.

Comments are closed.