Noventa toneladas de EPI viajaram de Xangai para o aeroporto do Porto, e dali para as instalações do cliente, numa operação da Rangel.

Rangel operacionalizou mais um voo dedicado e directo da China para o Porto, com 90 toneladas de dispositivos médicos hospitalares, utilizando mais uma vez um avião cargueiro Antonov 124, o segundo maior do mundo, que aterrou no Aeroporto do Porto na passada sexta feira, dia 29 de Maio.

Trata-se de mais uma complexa operação logística proveniente da China/Xangai, a somar às muitas realizadas pela Rangel desde o início desta pandemia.

O sucesso desta operação deveu-se ao total empenho  de uma equipa Rangel  especializada e dedicada que, devido às recentes alterações das regras de exportação de dispositivos médicos implementadas pelo governo chinês, enfrentou um forte  congestionamento de todas as infra-estruturas aeroportuárias da China, dado os volumes extraordinários de EPI que estão a ser exportados para todo o mundo.

Na China, a  Rangel fez a coordenação, recepção e consolidação das mercadorias em armazém, gestão documental, despacho aduaneiro na exportação, seguro, fretamento do avião e supervisão do seu carregamento na origem até à sua chegada ao Porto.

Já no Aeroporto do Porto geriu-se a descarga e desalfandegamento e, numa operação expresso, procedeu-se ao carregamento e entrega da mercadoria na casa do cliente em menos de 10 horas, utilizando para o efeito 12 camiões TIR.

Para este cliente, é o terceiro voo dedicado China –  Portugal que a Rangel operacionaliza, tendo o primeiro chegado a Portugal a 27 de Março, com a 1.ª carga de material médico pós pandemia, e o segundo a 21 de Abril.

Num momento em que os constrangimentos logísticos são muitos, a Rangel sublinha o orgulho nas suas equipas que, com o seu know-how e dispondo de soluções logísticas integradas, conseguiram fazer chegar ao seu destino esta mercadoria imprescindível à actual situação em que vivemos em Portugal.

 

Tags:

Comments are closed.