Portugal é o 28.º pais de registo de navios do mundo e foi, de longe, o que mais cresceu, entre os principais, de 2015 para 2016, de acordo com os dados da UNCTAD.

msc-jenny-registo-do-mar

Num ranking liderado pelo Panamá, Portugal ocupa a 28.ª posição, com um total de 373 navios registados (no acumulado do registo convencional e do registo internacional da Madeira), a que corresponde uma tonelagem de 8,39 milhões de toneladas TDW. É, assim, “portuguesa” um pouco mais de 0,4% da frota mundial, sempre de acordo com os dados da UNCTAD.

Onde Portugal se destaca mais é no ritmo de crescimento dos respectivos registos, medidos em TDW. De 2015 para 2016, o salto foi de 65,1%! Sem paralelo entre os 35 maiores registos mundiais, que concentram 77% dos navios e 94,3% da tonelagem mundial, e que cresceram, em média, no mesmo período, apenas 3,7%.

O primeiro lugar do ranking elaborado pela UNCTAD é detido pelo Panamá, com quotas de 8,97% no número de navios e de 18,5% na tonelagem TDW. Seguem-se-lhe a Libéria, as Ilhas Marshall, Hong Kong e Singapura.

O primeiro país de registo europeu é Malta, no sexto lugar, com 2,3% dos navios e 8,9% da tonelagem TDW. Seguem-se-lhe a Grécia, Chipre, Noruega, Dinamarca, Itália, Reino Unido, Alemanha e Bélgica.

Atrás de Portugal, mas ainda no lote dos 35 maiores registos mundiais, ainda surgem a Holanda e França.

 

Os comentários estão encerrados.