Espanha deu o primeiro passo para a privatização da Renfe Mercancias. O conselho de administração da Renfe decidiu formalmente que a filial de transporte de mercadorias procure um sócio industrial.

Renfe Mercancias

A operação, que terá, agora, de ser autorizada pelo Conselho de Ministros, será realizada através de um aumento de capital da Renfe Mercancías, garantindo, assim, que o Estado espanhol fique com uma participação de 51%.

O operador ferroviário público espanhol espera que a entrada de um sócio industrial na Renfe Mercancías seja uma mais-valia para prosseguir a estratégia de reestruturação e crescimento que a empresa tem em curso.

Com, praticamente, o monopólio do transporte ferroviário de mercadorias em Espanha – é responsável por 83% da actividade, apesar de ter concorrência privada desde 2005 – a filial de mercadorias da Renfe transportou 21,4 milhões de toneladas em 2014.

Relativamente a 2013, verificou-se um crescimento de 10,4% mas ainda assim o valor absoluto é baixo tendo em conta, por exemplo, que a CP Carga transporta cerca de metade daquele volume, numa economia muito mais pequena a onde a quota da ferrovia no transporte de mercadorias é também reduzida.

Ainda em 2014, o volume de negócios da Renfe Mercancias cresceu 11%, para 259,8 milhões de euros, enquanto o prejuízo baixou 28%, para 54 milhões de euros, fruto do já referido processo de reestruturação.

Por cá, aguarda-se que o Governo anuncie as condições em que se propõe privatizar a 100% a CP Carga.

Comments are closed.