A espanhola Renfe pretende operar duas linhas de Alta Velocidade em França, Lyon-Montpellier e Lyon-Marselha, a partir de 2020.

A companhia pública espanhola já abriu, de acordo com a comunicação social do país vizinho, uma representação na cidade de Lyon. A conseguir entrar na Alta Velocidade gaulesa – para o que carece das habituais autorizações das autoridades nacionais –, será a primeira vez que a Renfe opera em França sem ser em parceria com a congénere SCNF.

O objectivo da companhia espanhola nas linhas de Alta Velocidade Lyon-Montpellier e Lyon-Marselha é usar recursos próprios e comboios da série S100 da Alstom, que já estão homologados em França.

Os corredores de Lyon são apenas o primeiro passo de um objectivo mais ambicioso da Renfe: chegar a Paris. Essas licenças são, porém, mais complexas de serem alcançadas, pelo que essa meta fica para mais depois.

A Renfe tenta, há algum tempo, operar serviços de Alta Velocidade fora de Espanha. Entre as várias incursões internacionais destaca-se o TGV do deserto, entre Medina e Meca, que já está operacional, mas a companhia pública espanhola também já acorreu a vários concursos públicos e privados nos Estados Unidos. O objectivo de médio prazo é obter 10% da facturação fora do país vizinho.

Em paralelo, a Renfe prepara-se, em Espanha, para o fim do monopólio em que tem operado no transporte de passageiros. A liberalização do mercado espanhol, prevista para 2020, implicará a entrada de pelo menos mais dois operadores e a criação de um mercado low-cost ainda inexistente no sector ferroviário espanhol.

Comments are closed.