A assinatura do contrato de venda do porto de Salónica teve de ser adiada porque o banco que financia o consórsio privado foi intervencionado pelas autoridades russas.

Porto de Salónica

Em causa está a venda de uma participação de 67% do capital do Porto de Salónica, o segundo maior da Grécia, a um consórcio liderado pela Deutsch Investment e participado também pelos franceses da Terminal Link (Grupo CMA CGM) e pelos cipriotas da Belterra Investments.

O consórcio venceu o concurso internacional promovido pela agência grega de privatizações com uma oferta de 231,9 milhões acontece.

Acontece que o russo Promsvyazbank, banco privado que garantia o pagamento, foi colocado sob administração pública pelo Banco Central da Rússia, não se sabendo como evoluirá a  situação.

Em consequência, a formalização da privatização foi adiada, em princípio até depois de amanhã, quinta-feira (deveria ter acontecido na passada sexta-feira).

A venda do porto de Salónica insere-se no programa de privatizações acordado entre Atenas e a “troika”. Já foram privatizados o porto do Pireu, aeroportos regionais e a operadora ferroviária.

 

Os comentários estão encerrados.