Fernando Ribeiro e Castro, secretário-geral do Fórum Empresarial da Economia do Mar, apelou hoje ao cancelamento do concurso para o fornecimento de dois ferries à Atlânticoline e ao lançamento de um novo procedimento aberto aos estaleiros nacionais.

Ribeiro e Castro, que participou na 1.ª Conferência Internacional de Engenharia e Tecnologia Marítima, no Instituto Superior Técnico de Lisboa, criticou o facto de a empresa açoreana ter excluído os estaleiros nacionais do concurso para a construção dos dois ferries.

Numa apresentação sobre o Hypercluster da Economia do Mar, aquele responsável lembrou os casos de sucesso da construção, pela portuguesa Navalria, de ferries para a Transtejo e de um barco-hotel para a Douro Azul.

“Considerando a grave situação económica e financeira do País, os termos do acordo firmado com o FMI e o apelo de Sua Excelência o Presidente da República dirigido às famílias, empresas e organismos do Estado no sentido de darem preferência ao produzido em Portugal, apelo para que sejam adoptados os procedimentos necessários para imediato cancelamento do processo de aquisição dos dois novos ferries pela Atlânticoline e abertura de novo concurso público em condições que permitam a apresentação de propostas de estaleiros nacionais”, referiu Fernando Ribeiro e Castro.

O concurso para os dois novos ferries está entretanto suspenso “sine die” enquanto a Atlânticoline trata de dar resposta aos pedidos de esclarecimento do estaleiro holandês Damen Shipyards, o único que se apresentou e ganhou o contrato

O concurso promovido pela Atlânticoline é polémico, no entender dos estaleiros portugueses, porque o seu regulamento impunha condições que, na prática, impediam a participação de empresas nacionais. Os dois navios terão 37 metros, são do tipo monocasco, com casco em aço e superestrutura em alumínio, e terão capacidade para transportar entre 214 e 298 passasgeiros e entre seis e 12 viaturas.

A entrega dos navios está prevista para o final de 2012, início de 2013.

O valor do negócio ronda os 18 milhões de euros.

Comments are closed.