“Questões mínimas” deram a vitória à Rodonorte sobre a Corgobus, no concurso para a concessão do serviço de transportes públicos de Vila Real. A derrotada diz que vai recorrer.

Vila Real - Corgobus

A Rodonorte venceu o concurso público internacional promovido pela Câmara Municipal de Vila Real para a concessão, por dez anos, do serviço de transportes públicos local. Sucederá, assim, à Corgobus, que explorou o serviço nos últimos dez anos, praticamente desde a sua criação.

Com o novo concurso, a Câmara Municipal poupará cerca de 400 mil euros/ano, quatro milhões ao longo da concessão, anunciou o presidente da autarquia, Rui Santos.

Rodonorte e Corgobus apresentaram propostas pelo preço mínimo de 200 mil euros, acrescentou o autarca, tendo o júri decidido em favor da primeira por “questões mínimas”, disse.

Quem não concorda com a decisão e estranha as “questões mínimas” é a Corgobus. Depois de uma primeira análise ao relatório do júri do concurso, o responsável pela empresa, João

Queirós Lino, referiu à “Lusa” que a empresa decidiu recorrer, estando sobre a mesa várias hipóteses, desde a providência cautelar, a uma acção de impugnação da adjudicação ou impugnação administrativa da adjudicação.

João Queirós Lino disse estranhar que os dois concorrentes tenham tido a mesma pontuação em muitos pontos do caderno de encargos que considerou ser “muito exigente”.

A Corgobus é detida pelo grupo espanhol Avanza, que recentemente venceu a concessão da exploração das redes da Carris e do Metropolitano de Lisboa.

Em Vila Real, o presidente da Câmara espera que “tudo esteja resolvido até ao final de Setembro”, com o visto do Tribunal de Contas.

Comments are closed.