Para já não passa ainda de um projecto, mas poderá muito bem tornar-se uma alternativa para o encaminhamento das cargas entre o Norte de África e o Norte da Europa: uma combinação entre o ro-ro e o transporte ferroviário.

O projecto “RoRo-rail” prevê que as cargas provenientes do Norte de África, em particular da Tunísia mas também da Argélia e mesmo de Marrocos, sejam transportadas em navios ro-ro até ao porto de Marselha.

Aí, os semi-reboques ou os contentores serão transferidos para o caminho de ferro, utilizando a auto-estrada ferroviária que liga Perpignan a Bettemboug (Luxemburgo), via Avignon, numa distância de cerca de 900 quilómetros.

A partir do Luxemburgo, as cargas seriam encaminhados para os países vizinhos do Norte da Europa, seja ainda com recurso à ferrovia, seja recorrendo ao transporte ferroviário.

Numa fase de cruzeiro haveria uma ligação diária em cada sentido.

O projecto foi apresentado há dias numa conferência em França pelo presidente do Cercle pour l’ Optimodalité en Europe (COE).

Entre os promotores contam-se a administração do porto de Marselha, a Louis Dreyfus Armateurs, a Transporte t Logistique Partenaires e a Opticapital SAS.

A viabilidade da iniciativa assentará, prevê-se, no aumento dos fluxos de cargas entre o Norte de África e a Europa, que já hoje assenta no tráfego ro-ro no Mediterrâneo complementado por uma pernada rodoviária mais ou menos longa.

Comments are closed.