O movimento de mercadorias no porto de Roterdão cresceu 2% nos primeiros nove meses do ano, alavancado pelo aumento dos contentores. Nas cargas ro-ro destacou-se o aumento das trocas com Portugal.

Roterdão - CLdN

Até Setembro, o volume de contentores cresceu 10,1%, para 10,2 milhões de TEU, com a carga contentorizada a atingir 161,5 milhões de toneladas.

No relativo aos outros tipos de cargas, os granéis sólidos cresceram 1,4% nos nove primeiros meses de 2017 em relação ao mesmo período do ano passado. Destaque neste segmento para as cargas agro-alimentares (cereais e rações animais), que aumentaram os volumes em 14,7%, para 8,8 milhões de toneladas. Já os granéis líquidos caíram 4,2% no mesmo período, para 161,5 milhões de toneladas.

Quanto às cargas fraccionadas, houve uma subida de 6,6% no ro-ro, para 17,9 milhões de toneladas. O Porto de Roterdão destaca a propósito o crescimento dos tráfegos para Portugal.

No total, Roterdão movimentou 351,5 milhões de toneladas entre Janeiro e Setembro.

Allard Castelein, CEO da Autoridade Portuária, explica, citado em comunicado, que “graças, em parte, ao aumento de 10% nos volumes de movimentação de contentores, este acabou por ser um bom trimestre para as nossas estatísticas portuárias”.

O mesmo responsável salienta, porém, que tal “crescimento é compensado por menores volumes de produção” em vários outros segmentos. “Por exemplo, o volume de carvão movimentado no nosso porto caiu em comparação com 2016 devido ao encerramento de duas centrais eléctricas a carvão em Roterdão e ao aumento da produção de energia renovável. Da mesma forma, a produção de óleo combustível no terceiro trimestre também foi menor do que os números do ano passado”, explica Castelein.

A produção total do porto em 2017 deverá ser 1% a 2% superior à de 2016, de acordo com o executivo.

Comments are closed.