O porto de Roterdão, número um na Europa, movimentou no ano passado 11,1 milhões de TEU, 14% mais que em 2009.

O regresso à “normalidade” resultou em grande parte do crescimento dos tráfegos entre o Extremo Oriente e o Norte da Europa, com o porto de Roterdão a receber mais e cada vez maiores navios porta-contentores.

No negócio do transhipment o porto holandês teve um comportamento misto. Enquanto o tráfego com o Báltico esteve em alta, os volumes de/para o Reino Unido decaíram por causa da concorrência dos portos britânicos, e as relações com Espanha e Portugal foram prejudicadas pela transferência para portos vizinhos.

Já no shortsea o tráfego com a Península Ibérica registou um crescimento substancial, superior ao verificado com o Reino Unido e em linha com o experimentado nas linhas com a Rússia.

No total, o tráfego de contentores em Roterdão atingiu no ano agora findo os 112 milhões de toneladas.

O tráfego ro-ro, essencialmente concentrado no mercado britânico, aumentou ligeiramente para os 17 milhões de toneladas.

A restante carga geral movimentada em Roterdão recuperou as perdas de 2009 e atingiu os sete milhões de toneladas (mais 16% em termos homólogos), com destaque para os produtos siderúrgicos, project cargo, papel e madeiras, metais, automóveis e frutas.

Comments are closed.